Compartilhe

Na noite da sexta-feira (09), o Fundo Municipal de Trânsito (FUMTRAN) apresentou em audiência pública na Câmara de Vereadores, a proposta de implementação do novo estacionamento rotativo de Balneário Camboriú. Cerca de 60 pessoas participaram, entre representantes da Administração Municipal, Vereadores, representantes da sociedade civil organizada e população.

A apresentação, feita a pelo diretor de Trânsito, Carlos Santi, mostrou o estudo realizado sobre o tema. “Procuramos referências nacionais e internacionais para o sistema na cidade. Vamos focar tanto em tecnologia, como na simplicidade para quem não é adepto de smartphone”, disse ele.

O edital prevê concessão de 15 anos para a empresa vencedora realizar o serviço. Serão ofertadas 2800 vagas, 51% a mais do que no anterior. Alcançará todas as transversais da Brasil, Atlântica e Rua 1500 até a 3ª Avenida. Entre as propostas apresentadas, está a de monitoramento de vagas e compra da hora do estacionamento via Smartphone e a possibilidade de localizar uma vaga de estacionamento pelo celular.

Os valores ainda não foram definidos, e após pedido de moradores que participaram da audiência, também será feito um estudo para verificar a possibilidade de gratuidade no estacionamento rotativo.

Carlos reforçou para a os presentes, que o projeto deve ser pensado como um benefício deixado para a cidade e não um projeto político. “O número de carros tem aumentado, mas a cidade não tem mais como expandir Avenidas de grande fluxo como a Brasil e a Atlântica. Precisamos desenvolver  alternativas de dinamismo do trânsito, além do incentivo ao uso de transporte público”, pontuou.

Outra questão apresentada, é formular um novo texto sobre o estacionamento rotativo e ser encaminhado para a apreciação da Câmara de Vereadores. O projeto de Lei vigente sobre o tema é de 24 anos e possui defasagem em diversos pontos. Para o ano de 2019, também será estudado a colocação de um cartão inteligente, que engloba transporte público, estacionamento rotativo e eventos culturais do Município.

Para a presidente do CDL, Eliane Colla, a volta do rotativo é imprescindível para a comércio. “A rotatividade nas vagas deve aumentar a receita dos comércios. Teremos mais giro nas vagas em frente aos comércios e um aumento de fluxo de pessoas”, disse ela.

Agora, o estudo segue para apreciação do Tribunal de Contas do Estado, para as considerações finais antes da publicação do edital.

Anuncie no BC Notícias
Compartilhe